Logo

Artigos - Visualizando artigo

Dicas para Tempos de Crise

Muitos empresários acham que ter uma empresa estável no mercado significa nunca ter prejuízo, e é esses pensamentos que fazem muitas empresas lucrativas fecharem suas portas. A decisão de fechar uma empresa deve ser tomada com muito cuidado e com muita análise. Jamais se deve agir no impulso. O que acontece freqüentemente com empresas sem experiência, com três a quatro anos de mercado em média, é achar que uma crise no mercado é algo insuperável para a sua empresa. As crises sempre vão existir e precisam ser encaradas com naturalidade e programação. A experiência de mercado mostra que temos que colocar as crises no calendário de nossas empresas para que possamos nos preparar para enfrentá-las. É lamentável ver empresas com potencial e que lucraram por três a quatro anos encerrar suas atividades por causa de um ano de prejuízo. O empresário não para pra analisar o quanto já lucrou com sua empresa e por causa de um pequeno espaço de tempo ruim decide fechar seu negócio e perde de lucrar em anos seguintes.

O segredo das empresas estáveis está no planejamento. Uma dica importante para enfrentar um período de crise é sempre trabalhar com caixa reserva e não comprometer todo seu ganho com prestações de despesas ou investimentos, além do caixa reserva a empresa tem que trabalhar sempre com folga já prevendo uma queda de faturamento, assim não passará por apuros. Por mais estável que seja o faturamento de uma empresa, ele não está livre de cair, e a economia influencia diretamente essas oscilações.

O que acontece muito também são as falências por empolgação. Num momento de economia boa a empresa se empolga e faz grandes investimentos para aumentar sua produção assumindo parcelas altas que com o aumento de produção e o faturamento já existente esperam quitar suas dividas e de surpresa vem à crise. A empresa com os investimentos passa ter alto potencial de produção, mas que ficará sem uso por falta de pedidos, ai surge os problemas com as prestações. Os investimentos são necessários e precisam ser feitos para o crescimento de uma empresa, porém, é necessário ter cautela para poder paga-los.

Quando a crise bate na porta é nesta hora que começam as decisões erradas e os cortes de custos perigosos.

Cortar custos demitindo funcionários pode não ser a melhor opção. É interessante lembrar que a equipe é uma das melhores ferramentas de lucratividade que uma empresa pode ter. Grande parte dos pequenos empresários principalmente os iniciantes, cometem o erro de analisar seus funcionários somente pelo custo e tendem a demitir os que ganham mais. Ai vem o perigo. Numa loja de roupa, por exemplo, o desempenho de um bom vendedor é fundamental na hora de fechar a venda e isso precisa ser analisado. Quanto do faturamento da empresa é de responsabilidade daquele vendedor. Muitas fezes um funcionário que custa, por exemplo, três mil reais por mês é responsável por um faturamento de trinta a quarenta mil para a empresa e demiti-lo não é a melhor opção, até porque outro funcionário pode não ter a mesma experiência para vender a mesma coisa. Empresas quebram demitindo bons funcionários. Nos casos de empresas que se utilizam de mão-de-obra qualificada, demitir também não é a melhor opção principalmente se a mão-de-obra é escassa no mercado. Quando a crise vai embora, nesses casos, e a busca pela sua empresa começa aumentar você está sem equipe e o funcionário demitido já esta em um novo emprego. A organização perde de ganhar por falta de funcionário qualificado.

Mudar de ponto para economizar em aluguel é uma atitude que deve ser avaliada. É necessário antes de tomar uma decisão como essa verificar o quanto do faturamento da sua empresa depende do ponto. Deve ser calculado o quanto de vendas será perdido e se vai compensar a economia. Um bom ponto comercial se paga.

Trocar de contabilista dependendo do profissional pode piorar ainda mais a situação do seu negócio. Se a empresa já possui um bom contador, procure não trocar, pois é nesta hora que sua empresa precisa de um bom profissional da contabilidade para auxiliá-lo. Um empréstimo, por exemplo, depende muito da forma com que o contador irá fornecer a documentação para que o dinheiro seja liberado, sem contar as demais orientações contábeis e administrativas que ele pode dar.

Cortar gastos com publicidade pode não ser um bom negócio. É necessário ter um controle administrativo do real retorno da publicidade para se analisar um corte de custos. A propaganda que não está dando retorno pode ser cortada sem problemas, agora se a empresa erroneamente diminuir custos com a propaganda que esta trazendo venda ela corre um sério risco de fechar de vez as suas portas.

O conteúdo acima são apenas algumas orientações a ser consideradas.  Cada empresa tem suas particularidades na hora de tomar uma decisão. Quase toda crise se bem administrada pode ser vencida.


Voltar


Compartilhar

Todos os direitos reservados ao(s) autor(es) do artigo.